Eventos do SENAI em Rio do Sul e Lages despertam para indústria 4.0

Rio do Sul (na terça, 25) e Lages (na quarta, 26), mais uma edição do Despertar 4.0, que busca sensibilizar empresários, trabalhadores, estudantes e demais interessados para os desafios e oportunidades da quarta revolução industrial
Imprimir

Florianópolis, 24.10.2016 – O SENAI/SC, entidade da FIESC, realiza em Rio do Sul (na terça, 25) e Lages (na quarta, 26) mais duas edições do Despertar 4.0, evento que tem o propósito de sensibilizar empresários e trabalhadores catarinenses para a nova onda da Revolução Industrial. Nos encontros serão apresentados os desafios e oportunidades que são trazidos por este recente fenômeno econômico e social, que ganha denominações como indústria 4.0, internet industrial, indústria avançada ou manufatura avançada. As atividades previstas incluem palestra do diretor regional do SENAI/SC, Jefferson de Oliveira Gomes, um dos principais experts brasileiros sobre o tema. Também serão realizados cursos especiais destinados a trabalhadores com 40 anos ou mais, adolescentes e mulheres. Com vagas limitadas, as atividades são gratuitas e não requerem conhecimento prévio sobre os temas abordados.

Segundo Jefferson Gomes, este fenômeno “tem por base a hiperconectividade, a inteligência artificial, o elevado grau de digitalização e de sensoria­mento, o avanço do big data, entre outros, cuja associação permitirá customização em massa de produtos, mudança na forma e pa­drão de consumo e possibilidade de pro­dução em casa”. O principal fator de estímulo ao seu desenvolvimento é a redução dos custos de processamento, armazenamento e transmissão de dados. Até 2020, mais de 50 bilhões de objetos – ou sete vezes a população mundial – estarão interconectados, promovendo negócios estimados em 32 trilhões de dólares. Mais relevante que o volume de recursos movimentados, entretanto, é que esta hiperconectividade está modificando a sociedade e a economia, permitindo rapidez e eficiência na tomada de decisões.

Exemplo prático dessa nova realidade está nos aplicativos de orientação de trânsito dos smartphones. Com inúmeros usuários acessando on line (hiperconectividade), o serviço colhe informações sobre o trânsito nas diversas vias (sensoriamento e big data) e toma decisões calculadas a partir das variáveis (inteligência artificial) ao sugerir a melhor alternativa de trajeto para cada usuário (customização). “Para a indústria resta o desafio de aplicar tecnologias e modelos semelhantes”, afirma Jefferson. “As decisões passam a ser tomadas sem a participação humana e a partir apenas da conexão entre máquinas, plantas fabris, matérias-primas e o produto final (estes dotados de sensores e transmissores) e o consumidor. O ato de abrir uma embalagem dá o comando instantâneo para a produção de nova unidade”, acrescenta.

Na opinião de Gomes, as novas tecnologias promoverão profundas mudanças no mercado de trabalho. “Sessenta e cinco por cento das crianças de hoje atuarão em profissões que hoje não existem”, afirma. Ele destaca ainda que o novo modelo exigirá mudanças na legislação trabalhista, flexibilizando aspectos como o trabalho conjunto de homens e máquinas – dado o crescimento esperado da presença de robôs colaborativos – e  terceirização. “Uma máquina poderá prever até mesmo a hora em que vai apresentar uma pane. Pode ser, por exemplo, numa madrugada e, cinco minutos antes o técnico de manutenção chegará para realizar o serviço. Ele não precisará estar em tempo integral na empresa, nem ter contrato fixo”, diz. A respeito da robotização, Gomes salienta que ela vem avançando intensamente, também devido à redução dos custos. “Aquelas funções que não queremos para nossos filhos, serão realizadas por máquinas”, prevê.

Despertar 4.0

As atividades em Rio do Sul se iniciam às 13h30min desta terça, com os minicursos especiais para trabalhadores com 40 anos ou mais, mulheres e adolescentes. Às 18 horas será aberta a exposição de empresas de base tecnológica da região do Alto Vale do Itajaí e, às 19 horas, a palestra  Entendendo a indústria avançada, com Jefferson Gomes.

Em Lages, o início está previsto para às 14 horas de quarta, com os minicursos para mulheres e adolescentes. Às 19 horas se iniciam a palestra Entendendo a indústria avançada e o minicurso para pessoas com 40 anos ou mais.

Saiba mais:

Mulheres na tecnologia

Oferecido exclusivamente para mulheres que querem entender, aplicar ou empreender as novas tecnologias – no caso, produção de aplicativos para smartphones. Este momento criativo e prático proporcionará o desenvolvimento de tecnologias. Adicionalmente, serão apresentados conceitos de Internet das Coisas, exemplificando como esta já está inserida no cotidiano de muitas pessoas.

Teen + Tech

Aos jovens que querem conhecer a robótica, este momento apresentará conceitos introdutórios do tema, permitindo que o aluno participe de uma competição de robôs.

Despertando para tecnologia 40+

Dedicado a pessoas com 40 anos ou mais, que desejam entender e aplicar conceitos introdutórios de tecnologias. O objetivo é promover a familiarização deste público com as tendências do mercado de trabalho.

Entendendo a indústria avançada

Empresários, gestores, profissionais de RH, técnicos e demais interessados poderão compreender os impactos e possibilidades da Indústria Avançada nos negócios e na carreira. Será realizado um debate colaborativo com Jefferson de Oliveira Gomes - diretor regional do SENAI, professor do ITA e consultor da UNESCO no assunto - sobre os desafios e oportunidades desta nova realidade, seguido de discussões em mesas temáticas.

 

Data: 25 de outubro de 2016

Local: SENAI Rio do Sul (Estrada da Madeira, 3000 - Barragem)

 

Data: 26 de outubro de 2016

Local: SENAI Lages (rua Archilau Batista do Amaral, 745 - Universitário)

 

Eventos gratuitos.

 

Mais informações no site: http://sc.senai.br/iniciativa/despertar40

 

Assessoria de Imprensa

Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina