Santa Catarina disputa Mostra Inova SENAI com seis projetos inovadores

Iniciativas contribuem para melhorias de processos produtivos, inclusão de pessoas com deficiência e sustentabilidade
Imprimir
  • Projeto de Jaraguá do Sul facilita a inclusão de pessoas com baixa visão ou cegas no mercado da moda. Foto: Ivonei Fazzioni
  • Projeto de Criciúma. Foto: Ivonei Fazzioni
  • Projeto de Florianópolis. Foto: Ivonei Fazzioni
  • Projeto de Blumenau. Foto: Ivonei Fazzioni
  • Projeto de Chapecó. Foto: Ivonei Fazzioni
  • Projeto de Joinville. Foto: Ivonei Fazzioni

Brasília, 11.11.2016 – Com soluções de acessibilidade, sustentabilidade e melhorias do processo produtivo, Santa Catarina compete com seis projetos na Mostra Inova SENAI, atividade paralela à Olimpíada do Conhecimento. Promovido pelo SENAI, o evento é realizado até domingo em Brasília.

Clique aqui para mais informações sobre os diversos eventos e a participação catarinense e aqui para ver a cobertura fotográfica completa da participação catarinense na Olimpíada do Conhecimento 2016.

“A indústria precisa cada mais de produtos inovadores e novas opções para o mercado; no setor de alimentos, em especial, os consumidores exigem produtos funcionais, que tragam benefícios à saúde, mantendo a sensorialidade e o prazer do consumo. Nos últimos dez anos, o mercado de alimentos funcionais cresceu 870% no país”, explica Andreia Faion, docente da área de alimentos do SENAI em Chapecó

Os projetos expostos na Mostra oferecem soluções para os desafios das indústrias. Um exemplo é o sorvete de azeite de oliva extra virgem, criado na Faculdade de Tecnologia do SENAI em Chapecó. Ele oferece um produto que mentem as características sensoriais desejadas pelos consumidores, mas de maneira mais saudável, ao utilizar azeite de oliva em lugar da gordura hidrogenada. É um sorvete premium com teor reduzido de gordura e com propriedades benéficas à saúde do consumidor. Além disso, a sobremesa é uma opção diferenciada para os consumidores que buscam produtos de alta qualidade e com sabores especiais (exóticos) e sofisticados.

Outras iniciativas promovem a inclusão de pessoas com deficiência. Um deles é o fala braile: tecnologia aplicada na alfabetização braile para inclusão de deficientes visuais. É um produto eletrônico, criado no SENAI em Florianópolis, para o auxílio na alfabetização da linguagem para deficientes visuais braile de forma interativa e dinâmica, oferecendo conteúdo educacional. Por meio de pinos em alto relevo, comandados eletronicamente, o dispositivo apresenta as letras em braile interagindo com o aprendiz através da fala.

Outra iniciativa de inclusão é a loja Eu entendo, eu escolho, direcionada a atender pessoas cegas ou com baixa visão. O objetivo é proporcionar a esse público a independência ao realizar a compra de um produto de moda. A iniciativa, do SENAI em Jaraguá do Sul, contempla design de serviços, design de produto e design de informação, com ênfase em informação sonora e tátil.

No âmbito da sustentabilidade, existe o Filtro Cell, que reutiliza areia de fundição e lodo de anodização de alumínio, dois rejeitos de alto impacto ambiental, nos processos de fundição. A proposta é aproveitar os dois rejeitos na construção de um filtro cerâmico para retirar impurezas dos elementos fundidos (ferro ou alumínio em estado líquido e em elevadíssima temperatura). A iniciativa, do SENAI em Criciúma, reduz os impactos ambientais e melhora a microestrutura das peças acabadas.

Outros dois projetos propõem melhoria dos processos produtivos das indústrias. Um deles é uma máquina híbrida para corte, chanfro, escovamento e medição de tubos e barras aplicada à indústria automobilística. Criado pelo SENAI em Joinville, o equipamento prima pela melhoria da qualidade do processo, alcançando um nível de excelência das operações comparável ao do uso de uma máquina a laser, sem o investimento requerido para esse equipamento.   

A outra iniciativa, do SENAI em Blumenau, realiza a remoção de abrasivo acumulado no tanque de máquina de corte de chapas metálicas sem interromper a operação. No corte por jato d’água, o abrasivo utilizado, junto com as limalhas de metal, é depositado em um tanque posicionado imediatamente abaixo da mesa da máquina.

Enquanto as provas centrais da Olimpíada do Conhecimento avaliam as competências dos estudantes, na execução de tarefas típicas de cada profissão, a Mostra apresenta soluções acabadas, desenvolvidas no dia a dia das escolas do SENAI. Além disso, sua execução envolve também docentes e pesquisadores da instituição.

 

Assessoria de Imprensa da FIESC
48 3231 4673 - 98421 3600
ivonei@fiesc.com.br